Rottweiler enorme conquista a vovó que prefere cães pequenos

Quando Mike Flanagan decidiu levar para casa um filhote de cachorro Rottweiler, não foi uma decisão popular com uma pessoa importante: sua sogra, Peggy Allen.

“Aos 80 anos de idade e sendo muito pequena, os cães gigantes são um grande risco”, disse Flanagan.

E Allen conheceu o mais novo membro da família: “A Rottweiler? Bem, devo admitir que sempre preferi os cachorrinhos – disse ela.

Ainda assim, Flanagan estava cautelosamente otimista de que os dois iriam se dar bem. E a julgar pela primeira visita, parecia que seus instintos estavam corretos.

“Allen gosta de sua paz e tranquilidade, ela gosta de seu espaço”, disse Flanagan. “Eles não pareceriam o melhor ajuste, mas ficamos surpresos com a rapidez com que eles se abraçaram. Allen rapidamente ensinou a Gus que ele estava autorizado, mas apenas se ela o convidasse.

Meses se passaram, e quando a visitaram novamente as coisas mudaram. O filhote outrora pequenino havia se transformado em um cachorro de 9 meses de idade e grande, pesando quase 100 libras.

A vida de Allen também havia sido alterada pela perda do marido.

“Gus não deixou o lado dela naquela visita inteira”, disse Flanagan. “Ele dormiu na cama dela. Ele esperou do lado de fora da porta do banheiro. Quando ela saiu e voltou, ele soltou um ‘AROOOOOOOO’ de felicidade que Allen tinha voltado. ”
 
Alguns podem chamar seu comportamento de um pouco grudento, mas Allen parecia não se incomodar com a atenção.
 
“Quando minha esposa disse: ‘Mãe, Gus com certeza ama você’. Allen casualmente respondeu: “Nós temos uma coisa”, acrescentou Flanagan.

O amor de Gus

Enquanto Gus e Allen têm um vínculo especial, o amor de Gus não discrimina. Essa ânsia de aconchegar-se até lhe rendeu o apelido de “Certified Loverbutt”(Tradução livre, Amante Certificado).
 
“Gus tem se encaixado muito bem”, disse Flanagan. “Somos uma família muito ao ar livre, fazendo caminhadas em Catskills ou permanecendo em locais para piqueniques e passeios para a lagoa. Gus está sempre pronto para um passeio.

Assim como Gus pôde entrar em sintonia com o que Allen precisava, o cão tinha um relacionamento diferente e especial com cada membro da família.
 
“Ele é um companheiro de brincadeira com meus filhos. Um cuddler com minha filha. Sua vigilância provou ser o maior alívio da ansiedade da minha esposa. Ela simplesmente se sente mais segura na casa com Gus lá – acrescentou Flanagan. “Ele está sempre presente e sempre pronto para o amor.”

É justo dizer que o cachorro gigante ganhou a aprovação da família – especialmente de Allen.

Agora, sempre que Allen vê Gus, ela garante que seus sentimentos sejam conhecidos.
 
“Eles estão ligados”, disse Flanagan. “Allen constantemente conversa com Gus e lembra a ele o quão bom garoto ele é.”

Para ver mais sobre as aventuras de Gus com sua família, você pode segui-lo no Instagram .

Fonte: The Dodo

Facebook

Você vai adorar estas!