Reciclagem de tampinhas plásticas paga a castração de pets sem lar

Pub

Um projeto de Santa Catarina banca a castração de animais abandonados, ou de famílias com poucos recursos financeiros, por meio da reciclagem das tampinhas.

Trata-se do projeto Ecopet, idealizado por Natália de Carvalho Nadi. Ele conta com voluntários nas cidades catarinenses de Florianópolis, Palhoça, São José e Biguaçu.

As tampinhas plásticas são enviadas para 438 pontos de coleta, nas cidades de Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça e Santo Amaro.

Nesses locais, são separadas e destinadas para a reciclagem. O dinheiro arrecadado com a venda é o que financia as castrações de cães e gatos, realizadas em três clínicas.

O procedimento, em geral, aumenta a longevidade desses animais.

Pub

O Ecopet tem uma lista de espera de solicitações de castração. Os valores são combinados entre o solicitante e a própria clínica. A operação deve ser feita em cinco dias úteis após o acordo.

Segundo Natália, a castração de um cachorro de 15 kg requer 120 kg de tampinhas coletadas. Elas são feitas de polipropileno, tipo de plástico que possui maior valor agregado.

Esperamos que essa ideia se espalhe pelo Brasil. Pequenas ações, geram grandes resultados. Além das tampinhas, as latinhas de cervejas e refrigerantes também podem ser utilizadas para reciclagem e arrecadação de dinheiro.

Pub
Pub

Fonte: Catraca Livre

Facebook

PODE GOSTAR TAMBÉM