Para superar o isolamento social, islandeses abraçam árvores em vez de pessoas

O coronavírus e o confinamento – necessário para prevenir a propagação do vírus – afetaram de maneira brusca a vida das pessoas. Solidão, angústia e estresse podem surgir de um momento para o outro, por isso é importante encontrar estratégias para permanecer ativo e não declinar. Aqueles que têm a chance de ficar em contato com a natureza têm muita sorte.

Na Islândia, iniciou-se uma campanha onde as pessoas estimulavam a todos a abraçar árvores para combater a solidão dessa quarentena. Não é como abraçar uma pessoa, obviamente, mas de um jeito ou de outro as plantas são seres vivos e podem sim beneficiar a saúde daqueles que mantém contato.

“Quando foi a última vez que você abraçou uma árvore? Eu faço isso frequentemente. Nos últimos dias, abraçar árvores era o único tipo de abraço disponível para mim. Ultimamente, toda vez que abraço, troco energia com a árvore. Eu dou à árvore cuidado, assim como dou para a Mãe Terra. A árvore me dá amor e energia vital. Só que desta vez a conexão entre nós é diferente. Não é melhor, porque isso é dualidade, é apenas diferente. Era como se minha alma e não meu corpo físico estivesse abraçando a árvore. E então eu entendi. Então hoje saia e abrace uma árvore. Conecte-se com este ser bonito. Peça para sentir, feche os olhos e apenas sinta. Sem preconceito. Você ficará surpreso.”, escreveu Ada Komani em sua conta do Instagram.

E ela não é a única a trocar energias com as árvores.

Várias pessoas replicaram esse chamado de amor. Agora, com o distanciamento social, essas ideias são compreendidas de outra maneira e as pessoas reconhecem o seu valor. Mesmo que você não mude o seu jeito de lidar com o planeta, o abraço pode servir como um momento de reflexão e conexão com a Mãe Natureza.

Conforme relatado pela mídia do país, estudos realizados nos últimos anos mostraram que algumas condições podem ser aliviadas com esse tipo de terapia. Fala-se de doença mental, depressão, déficit de atenção ou distúrbio de hiperatividade, estresse e dores de cabeça.

Obviamente, a recomendação não é sair para parques ou locais públicos. A ideia é fazê-lo apenas se você tiver um lugar privado, em paz e tranquilidade. Eles dizem que com 5 minutos de abraço, você já notará uma mudança. O importante é a qualidade da interação e sua disposição.

“Eu descanso minha bochecha contra o tronco e sinto o calor e as correntes fluindo da árvore em minha direção. Você pode realmente sentir isso.”, relata um guarda florestal islandês.

Esse tipo de troca energética não é novidade no mundo, diz-se que o hinduísmo já contava com essa prática em 1730, na Índia.

Fonte: Conti Outra

Facebook

Quer mais histórias? Click »