Para o prazer de turistas, burros sofrem, sangram e ficam aleijados

Mais de 500 degraus devem ser superados antes que os turistas possam apreciar a vista do topo de Fira, a capital da ilha grega de Santorini.

A fim de garantir que os visitantes não tenham de se submeter a esse duro trajeto, burros são usados para subir e descer a colina todos os dias, carregando os turistas. O passeio tradicional é uma atração popular, e tem sido há algum tempo. Mas tem um enorme impacto sobre os próprios animais.

Agora, ativistas dos direitos dos animais divulgaram imagens horripilantes e a indústria do turismo foi abalada no seu núcleo.

No calor escaldante, os burros são forçados a transportar os turistas subindo a colina um após o outro. Muitas vezes os caminhos são íngremes e as escadas perigosas. Mas os animais recebem pouco descanso. Para piorar a situação, os grupos de direitos dos animais afirmam que os turistas, em média, estão ficando mais pesados. Mais pessoas obesas estão usando os burros, aumentando assim a sua carga de trabalho.

É um trabalho sem intervalo, sem um momento de pausa, sete dias por semana. Eles recebem água suficiente e bom tratamento pelo serviço? Não. O jornal britânico The Sun alega que os donos da atração de Santorini criam burros com cavalos, o que significa que as mulas são mais fortes, maiores e mais bem equipadas para durar mais tempo. 

Uma imagem diz mais que mil palavras, especialmente quando se trata dos efeitos devastadores da crueldade contra os animais. Fotos da Network for Animals foram liberadas, e documentam as feridas sangrentas escondidas dos turistas quando reservam os seus ingressos para os passeios de burro.

À maioria dos jumentos não possuem selas adequadas, exacerbando assim as lesões sofridas. Muitos deles estão tão exaustos no final do dia que nem conseguem levantar.

É recomendado que os animais não levem mais de 20% de seu próprio peso corporal

O The Sun cita um porta-voz da organização de bem-estar animal “Ajude os Burros de Santorini” dizendo: “É recomendado que os animais não levem mais de 20% de seu próprio peso corporal. Os turistas obesos e com excesso de peso, combinados com a falta de sombra e água, bem como o calor e 568 degraus de paralelos, é o que está a causar um problema deste tipo. ”

É claro que, mesmo sem ter que carregar o excesso de passageiros com excesso de peso, as condições de trabalho para os burros seriam ainda torturantes. 

A culpa quando se trata do sofrimento desses animais não pode ser atribuída apenas aos donos dos passeios cruéis. Sem mercado para isso; sem pessoas a querer subir, a atração diminuiria rapidamente. Os turistas podem desempenhar o seu papel na luta contra estas agonizantes jornadas, renunciando aos passeios e aumentando a consciência da crueldade animal envolvida. Felizmente, devido ao trabalho duro dos ativistas dos direitos dos animais, está ficando cada vez mais difícil para os proprietários de tais esquemas encobrir os resultados obscuros dos seus negócios de qualquer maneira.

Todos os turistas podem desempenhar o seu papel certificando-se de que “atrações” como estas são uma coisa do passado. Não se engane, um dia vamos olhar para trás, com vergonha e horror. Faça a sua parte na erradicação dos passeios cruéis de burros.

COMPARTILHE este artigo para ajudar os burros de Santorini!

Fonte: VAMOS

Facebook

Quer mais histórias? Click »