Na Suíça, os deputados não têm benefícios e ganham menos que um professor

A Suíça ocupa o terceiro lugar nos países mais desenvolvidos do planeta. E é um país onde os políticos não obtêm nenhum tipo de benefício.

Um grande exemplo disso é Guy Mettan, um deputado e ex-presidente do Parlamento de Genebra. Ele não possui nenhum carro, nem um lugar reservado em frente ao estabelecimento para ele.

O Sr. Mettan disse entretanto que muitas vezes vai trabalhar com um motorista, neste caso ele se refere ao motorista do ônibus público em sua cidade. Já são 18 anos que ele esteve no cargo de deputado e Mettan decidiu fazer este relatório.

Esta região da Suíça é uma das mais ricas do mundo. Sua taxa de desemprego é de 5,4% e tem um dos sistemas financeiros mais ricos do mundo. Genebra é uma das cidades mais caras para se viver.

O deputado não só não possui um carro, mas também não tem nenhum benefício na hora de pegar um transporte público. Há apenas uma exceção para o Presidente do Parlamento, que ao comparecer a um evento oficial, pode optar por ir até ele com um veículo oficial.

Quando os primeiros quatro anos de seu mandato terminam, os deputados não se aposentam. Eles também não podem contratar parentes e, a cada mês, têm a possibilidade de ganhar um vale de 40 francos suíços (US$ 40) para preparar duas refeições por mês. “Dá pra comprar uma pizza e uma taça de vinho”, brincou Mettan.

O máximo que um deputado em Genebra ganha anualmente é de 50.000 francos suíços (US$ 51.000). Apenas o presidente do parlamento chegaria a esse valor e se participar de todas as sessões anuais.

O salário dos outros deputados se calcula por hora. Ou seja, se você não comparecer, você não ganha.

Nos países latino-americanos, pode parecer um número muito alto, mas o custo de vida em Genebra é muito alto. Se compararmos o pagamento do Presidente do Parlamento a atualmente, é menos do que o salário de um fabricante de queijo, de um mecânico de automóveis, de um carpinteiro, de um policial, de um professor de jardim ou de um camionista. . É equivalente ao salário normal de um açougueiro na Suíça.

Um deputado de nível normal, recebe um salário de quase 30 mil francos suíços por ano, o que equivale ao salário de um ajudante de cozinha, por exemplo. Na Suíça, a política é considerada como uma participação popular, na verdade, a posição de deputado ocupa apenas 25% do seu tempo de trabalho.

Como os salários são baixos, todos optam então por manter outros empregos paralelos ao cargo político. É algo que muitos países deveriam aprender sobre a sociedade suíça, que não sofre com a desigualdade salarial.

Fonte: Papo Reto

Facebook

Quer mais histórias? Click »