Mulher de 38 anos escreve seu próprio obituário, e é algo que todos devemos ler

Sonia Todd, de Moscou, Idaho, foi diagnosticada com câncer terminal. Mas, em vez de ficar em choque e entrar em depressão, ela teve uma atitude diferente. Como sabia que não tinha muito tempo com seus entes queridos, a mulher de 38 anos decidiu aproveitar os momentos com a família ao máximo. Para além disso, ela decidiu escrever o seu próprio obituário, para que os familiares e amigos não tivessem de lidar com isso após a sua partida.

Ela foi forçada a enfrentar sua própria mortalidade, mas fez isso com sabedoria e humor. O que ela escreveu no obituário é tão inspirador que, mesmo depois de Sonia Todd perder a vida, o texto irá inspirar milhares de pessoas de todo o mundo. Leia o emocionante obituário abaixo.

Mulher escreve seu obituário

“Meu nome é Sonia Todd, e perdi a vida devido ao câncer, aos 39 anos. Eu decidi escrever o meu próprio obituário, porque eles são geralmente escritos de forma desinteressante. Família ou amigos se reúnem, e listam cada realização, do berço à sepultura, num formato de linha do tempo. Ou então, tentam criar uma última estrofe poética sobre a vida de alguém, que é tão brilhante poderíamos pensar que o falecido foi a personificação viva de uma divindade.”

“A verdade, ou a minha versão dela, é a seguinte: eu apenas tentei fazer o melhor que pude. Às vezes consegui, mas na maioria das vezes falhei. Mas… eu tentei! Apesar de todos os meus comentários loucos, piadas ou reclamações, eu realmente amei as pessoas.”

“A única coisa que me separa de qualquer outra pessoa é o tipo de pecado em que cada um de nós participou. Nem sempre fiz ou disse a coisa certa, e, no final da vida, essas são as coisas que realmente lamento: as pequenas coisas simples que ferem outras pessoas.”

“Algumas pessoas me disseram que escrever o meu próprio obituário era mórbido, mas eu acho que é ótimo, porque tenho uma chance de dizer obrigado a todas as pessoas que me ajudaram ao longo do caminho. Aqueles que me amaram, me ajudaram, cuidaram de mim, riram comigo, e me ensinaram as coisas para que eu pudesse ter uma vida feliz e maravilhosa.”

Conselhos da mulher em estado terminal

“Fui abençoada por ter conhecido todos vocês, e isso foi o que fez a minha vida valer a pena. Se você gosta de mim, e gostaria de fazer algo em honra da minha memória, faça voluntariado numa escola, igreja ou biblioteca. Escreva uma carta para alguém, e diga como eles tiveram um efeito positivo na tua vida.

Newsner

Se você fuma: pare.

Newsner

Se dirige depois de beber: pare.

Newsner

Desligue o celular, leve uma criança a comer um sorvete, e fale com ela sobre suas esperanças e sonhos.

Newsner

Perdoe alguém que não merece.

Pare em todas as barracas de limonada administradas crianças, e gabe os seus produtos. Faça alguém sorrir hoje se isso estiver ao seu alcance.”

Newsner

Apesar de triste, o obituário é reconfortante ao mesmo tempo. Quando sabemos que a nossa vida está chegando ao fim, começamos a dar valor às pequenas coisas e descobrimos aquilo que realmente é importante.

Compartilhe com seus amigos e familiares os conselhos desta mulher de 38 anos. Para ela, já é tarde demais… mas para nós não!

Fonte: Newsner

Facebook

Quer mais histórias? Click »