Mulher adota os três filhos da vizinha após ela ter perdido a luta contra o câncer

A vida é realmente imprevisível, pois nunca saberemos realmente quais serão os caminhos que nos aguardam mais a frente. Além disso, o ser humano é o único animal que sabe da sua finitude, e precisa caminhar sem saber quando, de fato, será o seu último dia.

É nesse espectro que se enquadra a história de Audrey. Apesar de certos intempéries e uma fatalidade atingirem o seu caminho, ela ainda viveu um último momento marcante antes do real fim.

A história começa com Audrey e seus três herdeiros. A mãe sempre conseguiu cuidar sozinha, sem a ajuda de ninguém, dos seus três filhos pequenos. Ela trabalhava dia e noite para cuidar de suas crianças.

O que ela não esperava era uma virada súbita do destino, onde o final de uma história é quase sempre imprevisível. No meio de sua rotina, Audrey descobriu que estava com câncer.

Três irmãos e um destino

De um dia para o outro, Audrey começou a se sentir mal e foi até o médico saber o que estava acontecendo. Ela descobriu que estava com um câncer agressivo no estômago. Ela descobriu que não tinha muito o que fazer, e que estava com os dias contados.

Neste momento, antes de viver o luto pelo seu próprio fim, ela tinha uma preocupação prioritária: o que seria dos seus três filhos? Ela era a única pessoa que as crianças tinham, e quando ela morresse, o que seria deles?

Neste momento, o destino deu mais uma prova da sua imprevisibilidade. Audrey tinha como vizinhos o casal Tisha e Kevin. Eles já tinham cinco filhos e não tinham intimidade com a Audrey e nem com suas crianças.

Sem que ninguém esperasse, Tisha e Kevin ficaram sabendo do que estava acontecendo na casa ao lado. Em um ato inesperado de empatia, coragem e nobreza, os dois se ofereceram para cuidar das três crianças depois da morte de Audrey.

O fim

Logo após a decisão de Tisha e Kevin de cuidar das três crianças, Audrey não resistiu. Ela morreu pouco tempo depois. Agora o casal de vizinhos não tinha apenas cinco filhos, e sim oito no total. O esforço seria muito grande. Pense em todos os gastos e no trabalho necessário para criar apenas um filho. Agora vá aumentando mentalmente o grau de dificuldade acrescentando mais um filho por vez. Eles teriam oito filhos, e um grau de dificuldade grande.

Um dos motivos da decisão é a história pessoal de Tisha. Ela cresceu em um orfanato, e não queria que aquelas crianças passassem pela mesma coisa. Ela fez um relato ao canal de noticiários FOX 5, nos EUA:

“Minha vizinha morreu, ela pensou que teria pelo menos mais um ano para viver, mas isso não aconteceu. Agora estou tentando ser a mãe de seus filhos. Eu faço isso porque eles são crianças e eles têm o direito de ter um lugar para chamar de ‘lar’. Eu não quero que eles passem pelo que eu tive que passar quando criança. Eles merecem ser apenas filhos. Eles passaram por muitas coisas, eles merecem uma família que os ame e uma casa”.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Facebook

Você vai adorar estas!