Jovem fica paraplégica depois de infecção causada por piercing

Um piercing no nariz causou problemas sérios de saúde para a estudante brasileira Layane Dias, de 21 anos. Ela teve uma infecção causada por uma bactéria, que deixou metade do seu corpo paralisado. O caso é considerado raro pelos especialistas.

À BBC News Brasil, a estudante contou que, após perfurar o nariz, começou a sentir dores intensas, e poucas semanas depois, começou a perder os movimentos das pernas e depois dos braços. “Dos seios para baixo, eu não conseguia sentir mais nada”, relatou a jovem.

No hospital, o médico a perguntou se ela havia tido alguma espinha na região do nariz, já que a bactéria identificada é comumente desenvolvida nas fossas nasais. Foi então que ela falou sobre o piercing que havia colocado no mês anterior. “Quando contei isso, ele me disse: o piercing foi a entrada da bactéria em seu corpo. Ouvir isso me deixou em choque”, afirmou.

Crédito: Arquivo pessoal – Nariz de Layane logo após a colocação do piercing
Cirurgia e melhora do quadro

Layane precisou passar por uma cirurgia de urgência após uma ressonância magnética apontar a presença de pus entre as vértebras de sua medula espinhal. Após a retirada do líquido, a medula foi descomprimida e o quadro dela melhorou. Apesar disso, a jovem perdeu a sensibilidade nos membros inferiores e hoje precisa usar cadeira de rodas.

“A disseminação de qualquer infecção cutânea costuma ser hematogênica – quando é transmitida pela corrente sanguínea. Por exemplo, se a bactéria está na ponta do nariz, ela pode evoluir, pegar o nariz inteiro, cair na corrente sanguínea e parar em outro canto do corpo”, esclarece o médico responsável pela cirurgia da jovem, o neurocirurgião Oswaldo Ribeiro Marquez.

Embora infecções possam acontecer em decorrência de um piercing, o médico diz que situações parecidas com a de Layane são muito raras. Marquez acredita ser possível que a paraplegia tenha sido causada em decorrência da infecção no nariz, mas diz que somente estudos mais aprofundados podem garantir que a única razão tenha sido isso.

O caso da estudante serve como um alerta, já que a colocação e piercing exige alguns cuidados para diminuir os risco de infecções. Os médicos alertam que é indispensável observar a correta esterilização dos equipamentos e uso de materiais descartáveis, como agulhas e luvas cirúrgicas.

Além disso, depois do acessório no corpo, é indispensável manter uma higiene no local. Deve-se lavar o local do furo com um sabonete antibacteriano e também usar um spray anti-séptico na região.

Fonte: Catraca Livre

Facebook

Quer mais histórias? Click »