Homem pensou que salvou um ratinho da morte, mas era um esquilo voador

Jeff encontrou este animal minúsculo e muito misterioso na luz do sol, em uma das ruas da Flórida. Sem saber exatamente o que era, ele o levou para casa e decidiu cuida-lo.

O animal pequeno à primeira vista parecia um rato recém-nascido. Era cinza, como uma calçada, por isso, teria sido muito fácil passar por cima dele, mesmo sem perceber sua existência.

Felizmente, Jeff viu e ofereceu ajuda ao animalzinho. Embora naquela época ele não soubesse qual animal era.

Jeff colocou o nome de Biscuits (Biscoito). Já que ele não sabia quase nada sobre os cuidados para com o animal que estava prestes a morrer, muito menos da reabilitação dele, ele decidiu procurar ajuda da Internet. Tirou uma foto do seu novo mascote e a postou em uma página no Reddit.

Ele logo descobriu que o animal em sua casa não era um rato, mas um esquilo voador do sul.

Esquilos voadores do Sul (Pteromys volans) pertencem à mesma família de roedores que os esquilos comuns, que, aliás, parecem tanto em suas aparências quanto em seus modos de vida. Seu corpo possui uma estrutura específica com pele recoberta de pelos que podem se abrir como um paraquedas. Graça a isso, eles podem realizar voos.

Eles são animais muito peculiares e inteligentes.

Os esquilos-voadores-do-sul vivem naturalmente na área onde há florestas de madeira, coníferas e florestas mistas, do Canadá até o México. Normalmente, eles fazem seus ninhos em árvores ou simplesmente vivem em buracos. Muitas vezes eles se instalam perto de locais onde muitas pessoas vivem, porque isso significa poder obter facilmente comida (o que as pessoas jogam), no entanto, esquilos voadores preferem ficar longe da civilização e escolhem locais isolados onde eles podem viver em paz.

Na maior parte dos casos eles levam um estilo de vida muito solitário, principalmente saindo de seus esconderijos a noite. Apenas no inverno eles se juntam para formar um grande grupo, a fim de sobreviver a baixa temperatura. Quanto mais membros estão no grupo, mais eles podem ficar aquecidos.

Se tudo está calmo e se sentem bem, esquilos-voadores emitem sons agradáveis e melódicos, mas quando sentem perigo, eles começam a chiar alto.

Jeff recebeu um monte de mensagens e conselhos sobre cuidados com animais resgatados, como este que vivia debaixo de seu telhado. O homem nem sequer sabia antes como alimentá-lo e após a publicação de uma foto de Biscuits, muitas pessoas preocupadas com a vida deste pequeno animal pareciam saber como tratar o sobrevivente para que ele ficasse bem e pudesse crescer saudável. 

Primeiro ele utilizou uma seringa e depois alimentou o animal com uma pequena mamadeira até que ele recuperou suas forças e começou a comer sozinho.

O animal geralmente não reclama sobre a comida que chega, mas o que ele mais gosta são as frutas da nogueira-pecã.

Hoje, Biscuits está perfeitamente bem. Nota-se que ele se sente muito feliz e confiante. Ele até fez uma boa amizade com os cães de Jeff e brinca com eles diariamente. O homem diz que o esquilo não tem medo de nada e, certamente, é cheio de energia.

É difícil de acreditar como os animais selvagens podem familiarizar-se com os seres humanos e assim compartilhar o mesmo espaço, vivendo felizes.

FONTE: Para Os Curiosos

Facebook

Quer mais histórias? Click »