Guri do Chapéu, o menino que se dedica a dar banho em cães de rua

Certamente você já ouviu falar de muitas ONGs protetoras dos animais, muitas pessoas que fazem trabalhos voluntários em prol dos bichinhos. Agora nós vamos contar a história diferente, um menino de 10 anos, conhecido como o Guri do Chapéu.

Thiago do Val Sidegum, 10 anos, nasceu em Estância Velha, foi morar em Antônio Prado com os pais ainda bebê, com apenas um ano. Atualmente estuda na escola Irmão Irineu.

O pai, Eduardo, diz que o menino, desde muito jovem, tem um grande amor pelos animais, prova disso é que há dois anos abandonou completamente o hábito de comer carne, passou a ser vegetariano.

Eduardo conta que: “Quando ele (o filho) descobriu que os animais eram criados especificamente para serem abatidos para a retirada da carne, ficou chocado. Por iniciativa própria disse que não comeria mais carne e nem derivados, e assim está a dois anos”.

“Eu pensei que o bicho morria dai as pessoas iam lá e tiravam a carne”, complementa Thiago.

Amigos da família não acreditavam que a ideia iria durar muito, uns diziam que era uma fase, que em um mês ele iria esquecer o assunto e voltar a comer carne, todos se enganaram.

Quando começou a ver o grande número de cachorros abandonados, ficou muito chateado com isso, não via e nem vê sentido nisso.

No final de 2020 Thiago teve uma conversa com seu pai, disse que queria fazer alguma coisa pelos animais de rua, pois via eles sujos, desajeitados. Teve a ideia então de pegar os cães, dar banho e devolver para a rua limpos, mais bonitos, com um lencinho no pescoço para assim as pessoas sentirem mais interesse em adotá-los.

Nos primeiros dias Eduardo ficou pensando sobre o pedido do filho, achou um gesto nobre vindo de um coração enorme do pequeno filho. Aceitou o desafio e, a partir de então, todos os sábados vão às ruas procurar um cachorro para dar banho.

Foi assim que em 09 de janeiro de 2021 nasceu o projeto #souderuamastolimpinho.

Eduardo conta que a Arca de Noé é parceira do projeto, quando recolhe algum cachorro de rua, ou antes de ser adotado, leva para o Thiago dar banho.

Thiago começou a ser chamado de Guri do Chapéu pelo pai e pela a avó. Ele explica que ganhou seu primeiro chapéu de sua mãe, começou usar e gostou. Depois seu pai comprou mais cinco, começou a ganhar de presente também de outras pessoas. Há aproximadamente um ano Thiago começou a usar chapéu, usa todos os dias, em qualquer lugar que vá, não abre mão do adereço.

Foi então que seu pai criou o apelido Guri do Chapéu. Hoje possui uma coleção com 16 peças.

“As pessoas me perguntam nos mercados e na rua se sou eu que dou banho nos cachorros, eu gosto disso. ”

Acompanhe o Guri do Chapéu Instagram @guridochapeu_oficial

Reportagem Ronei Marcilio em Grupo Solaris.

Fonte: Grupo Solaris

  • Se inscrevam no nosso canal para ter informações do mundo dos pets. Clique AQUI.
Facebook