Mulher encontra na rua corpo congelado de olhos bem abertos: de repente, médicos percebem algo incrível

Numa noite de muito frio, Jean Hilliard estava dirigindo para casa de um amigo quando algo inacreditável aconteceu. Durante a viagem, a jovem de 19 anos derrapou na estrada gelada e embateu com o seu automóvel. Estavam -5ºC na rua, e ela decidiu saiu do carro e começou a caminhar até a casa do amigo. No entanto, ela acabou por cair e congelou na rua. Quando a encontraram, achavam que estava morta, mas os seus fracos batimentos cardíacos diziam o contrário.

A casa do amigo estava a mais de 3 quilómetros de distância, e Hilliard subestimou o quão longe seria a jornada no frio. Depois de lutar contra o vento forte e frio, suas pernas estavam cansadas e ela colapsou apenas 15 metros antes de chegar ao destino.

Só depois de seis horas é que o amigo saiu de casa e viu o corpo da jovem de 19 anos completamente congelado. Por volta das 7 da manhã, Wally Nelson partia para o trabalho quando descobriu Hilliard na entrada. Ele não conseguia dobrar as articulações de Hilliard… ela estava literalmente congelada. Sem pensar duas vezes, o amigo a carregou na parte de trás de seu carro e levou-a para o hospital.

Facebook – Chris VonWolfersdorf

“Seu rosto era o de um fantasma”, disse Nelson disse enquanto os médicos tentavam salvá-la. Mas eles estavam altamente céticos sobre a sua recuperação. Era muito difícil de chegar às suas veias, seus olhos não tinham resposta à luz, e a sua temperatura era baixa demais para ser medida por um termómetro.

“Não consegui abrir a sua boca. Não consegui levantar o seu braço. Ela estava gelada, tão dura quanto um tronco coberto de gelo”, disse o Dr. George Sather. A família de Hilliard começou a enviar pedidos de orações, e às 9:00 da manhã, mais de 30 pessoas rezavam por sua recuperação.

Sather e outros médicos decidiram envolvê-la em um cobertor elétrico. Cerca de duas a três horas após o processo de descongelação ter começado, eles ouviram algo que não esperavam: batimentos cardíacos. Lentamente, Hilliard começou a fazer barulhos e a responder aos pais. Sua recuperação foi lenta, mas, milagrosamente, Hilliard continuou a recuperar a consciência.

“As coisas estavam um pouco turvas e as pessoas estavam me perguntando sobre quem eu era e coisas assim”, disse ela.

Facebook – Chris VonWolfersdorf

“E eu não consegui descobrir por que eles estavam falando comigo dessa maneira ou porque eles estavam me tratando desse jeito. Claro, eu conheci essas pessoas. Claro que sabia quem eu era. Quero dizer, qual é o problema?,” disse a jovem

Hilliard ainda tinha um longo caminho pela frente. Apesar das melhorias, os médicos acreditavam que a amputação de suas pernas era inevitável. Mas ela chocou os médicos novamente, e suas pernas começaram a se descongelar. A jvoem passou mais seis dias na sala de emergência antes de ser transferida para um quarto normal. Quarenta e nove dias depois, ela foi para casa completamente ilesa.

Hoje em dia, ela agradece a sua sobrevivência aos médicos e enfermeiras que salvaram sua vida, bem como às orações de familiares e amigos.

Sem dúvida um caso muito caricato, mas que felizmente teve um bom desfecho! Você já tinha ouvido falar de um caso semelhante? Se sim, compartilhe connosco nos comentários!

Fonte: Liftable

Facebook

Quer mais histórias? Click »