Mãe corre para creche após seu bebê ser “atacado” – depois, a câmera de vigilância revela a terrível verdade

Quando Tracy Blinov deixou a sua filha de 7 meses na creche Busy Hands, nos Estados Unidos, ela achou que a menina estava segura. A mãe deixava sempre a garota na escola antes de ir trabalhar. No entanto, nesse dia, ela recebeu um telefonema da equipe e correu para a creche pouco depois de ter entregue a menina no local.

Bebê mordida na creche

Tracy foi informada de que sua filha tinha sido mordida. Então, sem demoras, a progenitora foi à creche para ver como estava a menina. Quando chegou, ela teve uma visão aterrorizante: Eliana não foi mordida apenas uma vez, mas sim várias. O rosto dela estava coberto de marcas que uma criança mais velha havia causado.

É usual as crianças se morderem umas às outras. Estas coisas acontecem por todo o mundo, todos os dias. O que preocupava Tracy era o fato dela ter sido mordida tantas vezes sem que ninguém a ajudasse. Depois de assistir às filmagens de vigilância da creche, dias após o incidente, Tracy percebeu que Eliana havia sido atacada por quase um minuto e meio antes que alguém a fosse acudir.

Facebook – Tracy Blinov

Ela tinha mais de dez marcas de mordidas no rosto e no corpo. Após o incidente, uma investigação foi iniciada para descobrir exatamente porque demorou tanto tempo para as auxiliares se aperceberem do que estava acontecendo. No entanto, a equipe da creche alegou que foi ao auxílio de Eliana no momento em que a ouviu gritar.

Garoto conhecido por morder outros bebês

O menino de 2 anos, culpado pelo ataque, tinham acabado entrar na creche. Apenas uma semana antes, a criança havia sido removida de outro centro por morder outra criança. No entanto, a mãe do garoto não mencionou o incidente na Busy Hands. Por isso, a creche não estava à espera daquela atitude por parte da criança.

“Esta criança que veio era de uma nova cliente, e ela se esqueceu de dizer que a criança mordia, e se esqueceu de dizer que na semana anterior ela havia sido expulsa da Little Griz por morder uma criança”, disse o proprietário da creche Busy Hands. “Se isso nos tivesse sido dito, poderíamos ter dito ‘Não, não vamos aceitá-la'”.

Facebook – Tracy Blinov

As mordidas foram tão severas que Eliana teve que tomar antibióticos. Apesar de ter um rosto cheio de hematomas, a menina ficou de bom humor pouco depois do acontecimento. “Ela está com muito melhor humor hoje. Fico feliz por dizer que os hematomas e inchaços estão diminuindo um pouco, é incrível como os bebês são resilientes,” diz Tracy.

Creche quer prevenir para não remediar

A lei de Montana diz que deve haver no máximo quatro crianças para um adulto nas creches. No entanto, após o ataque de Eliana, a Busy Hands anunciou que seu objetivo é reduzir para duas crianças por funcionário, numa tentativa de garantir que algo semelhante não aconteça novamente.

Facebook – Tracy Blinov

Obviamente, quando deixamos nossos filhos na creche, esperamos que eles sejam bem cuidados. Quem tem filhos sabe que basta um segundo para uma tragédia acontecer. Se demorou um minuto e meio para que Eliana conseguisse ajuda, parece que a creche precisa alterar seriamente seus métodos. No entanto, não podemos culpar apenas os funcionários. A mãe do menino de 2 anos também deveria ter mencionado os comportamentos do filho antes de o inscrever na creche.

Que a história desta bebê seja uma lição para outras creches: nunca deixe uma criança desacompanhada. Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares para divulgar esta mensagem!

Fonte: Newsner

Facebook

Quer mais histórias? Click »