Conheça a Ana Victória, a primeira modelo com microcefalia do Brasil e do mundo

Um convite para participar de uma sessão de fotos fez a roraimense Ana Victória Lago, 20 anos, revelar o seu gosto pelas câmeras e o mundo da moda. Após três anos na área, hoje, ela é considerada a primeira modelo do mundo e do Brasil com microcefalia. Inspirando então muitas pessoas a não limitarem seus sonhos por conta de alguma deficiência.

O primeiro trabalho da Ana Victória foi no projeto de uma agência chamado “Arte Sem Preconceitos”, em Manaus, onde mora com a família. A mãe e funcionária pública, Viviane Lago Lima, 38 anos, levou a Ana e mais uma filha sua, Maria Luiza, 17 anos, que também tem microcefalia.

“Os médicos disseram entretanto que ela não iria andar e nem falar. Afirmaram que os comprometimentos eram severos e irreversíveis. Eu desacreditei. Ela tem nos surpreendido cada vez mais”, disse Viviane em conversa com o Razões.

A irmã mais nova se mostrou mais tímida e não gostou muito das câmeras. Já a Ana Victória surpreendeu a todos com a sua desenvoltura diante dos cliques.

“Ela nunca tinha feito algum trabalho de modelo e neste dia portanto, ela mostrou que sabia fazer aquilo, se portar diante de uma câmera. Ela se sentiu em casa. Fez poses e se divertiu”, conta a mãe.

Ana Victória sempre gostou muito de roupas, maquiagem e tudo que envolvesse o mundo da moda

Viviane relatou que chegou em casa e conversou com o marido. Explicou que a dona da agência relatou que o mundo da moda inclusiva estava crescendo.

“Então, no dia seguinte, ela foi convidada para fazer mais uma sessão de fotos, mais produzida, e no decorrer desse período, eu fui enxergando que era isso que a Ana Victória queria”, contou.

Viviane com as filhas Maria Luiza e Ana Victória
Ana Victória e a irmã Maria Luiza
Vencendo o preconceito

A mãe informou que todo o caminho da carreira da filha foi percorrido com muita cautela. Ela sempre avalia bem o propósito dos trabalhos que as empresas oferecem.

“A gente sabe que nesse mundo ainda existem muitas pessoas cruéis. E foi o que aconteceu, assinamos um contrato de um ano com a agência e nesse período, ela encaixava a Ana nos testes para algumas empresas e recebia respostas do tipo ‘que não queriam esse tipo de pessoa no seu casting’”.

“Os médicos disseram que ela não iria andar e nem falar. Afirmaram que os comprometimentos eram severos e irreversíveis. Eu desacreditei. Ela tem nos surpreendido cada vez mais”, disse a mãe

Nesse meio tempo, Viviane lembra que foi aperfeiçoando a Ana e amadurecendo o trabalho.

“E agora ela está tirando a carteira profissional de modelo, como toda modelo tem, assim, ela vai poder ser contratada, emitir nota fiscal, tudo certinho. Ela ama tudo isso”, disse.

A mãe busca inserir a filha em trabalhos inclusivos, com participação de eventos que possibilitem a sociedade conscientização e a valorização das pessoas com deficiência
Moda inclusiva

A mãe busca inserir a filha em trabalhos inclusivos, com participação de eventos que geram na sociedade conscientização e a valorização das pessoas com deficiência.

“Teve já empresas que procuraram ela para fazer divulgação de produtos, mas ela ainda não tem aquela desenvoltura para falar, ela ainda não está preparada. Por conta da microcefalia, ela tem um déficit de fala e de entendimento, mas acredito muito que num período curto de tempo, a empresas consigam se adaptar ao perfil da Ana Victória e ela deles”, disse Viviane.

Título da primeira do mundo

Viviane relatou que a filha já foi entrevista por sites internacionais após a repercussão da sua história, e através da imprensa internacional, foi concluído que ela não era só a primeira modelo com microcefalia do Brasil, mas do mundo!

Fonte: Razoes Para Acreditar

Facebook

Quer mais histórias? Click »