Aos 15 anos, adolescente cuida sozinho de mãe doente

Há crianças que têm que enfrentar duras provas que as fazem amadurecer de repente, na tenra idade têm que aprender a lutar como adultos. José, de 15 anos, é um adolescente que teve que cuidar de sua mãe doente, abandonando as atividades típicas daquela fase de sua vida, se dedicou ao lar.

José cuida de todas as tarefas domésticas e cuida mãe enferma.

Felizmente, ele recebeu a ajuda necessária para progredir , indo até a faculdade para realizar seu sonho de se formar como advogado.

O jovem acorda muito cedo todos os dias, lava roupa, faz as refeições, cuida da higiene da mãe, dá banho nela e também estuda na escola.

Em sua casa humilde, as condições são precárias, não têm nem fala potável, e o banheiro não tem cisterna de água, nem tem portas para que possam manter privacidade e medidas de higiene na casa.

José mora com a família em uma zona rural do município de Matinhas, no Brasil, o que dificulta muito o acesso aos hospitais e atendimento médico, entre outras coisas.

 A oferta de serviços básicos é muito pobre.

“O que eu realmente quero é tirar minha mãe daqui. É muito isolada aqui e se ela tem problemas de saúde não tem como ajudar ”, disse José em entrevista.

Sua dramática situação foi noticiada na mídia local graças à ação de voluntários que vêm à região para oferecer ajuda.

María das Neves, mãe de José, agradece muito o amor que seu filho lhe dá , ela continua acamada devido às complicações do diabetes que sofre.

“Se não fosse pelo meu filho, eu já teria morrido, porque não tenho ninguém para cuidar de mim. Comecei a perder peso e perder movimentos corporais. Não tenho força nas pernas e nos braços. Só posso comer com a ajuda do meu filho José ”, disse María das Neves.

Na casa dessa família humilde eles não recebem nenhuma renda, recebem apenas auxílio-doença da irmã de José , Mariana da Silva, de 16 anos, que sofre de arritmia cardíaca e diabetes.

Além disso, conseguem pagar as despesas graças às doações que recebem de instituições e voluntários.

José ama a mãe e a irmã, mas confessa que se sente triste por não ter amigos.

“Eu preciso cuidar deles, porque eles não têm ninguém. Mas fico triste porque não tenho amigos, acho que eles não gostam ”, disse José.

O empresário Rivanildo Atitude, que é ativista e colabora com causas sociais, foi o primeiro a fazer eco do caso de José ao receber uma carta pedindo sua ajuda.

Graças a esse gesto e à magia das redes, a família finalmente recebeu ajuda, organizou uma campanha de arrecadação de fundos na qual arrecadou mais de 50 mil dólares com quem comprou uma casa.

Agora finalmente têm espaço para todos, estão em um lugar melhor conectado e com serviços médicos muito mais acessíveis para garantir a saúde e o bem-estar de todos.

José ganhou uma bolsa para estudar Direito para poder realizar o que almejou na vida. Compartilhe esta ótima notícia.

Fonte: Viralistas

Facebook

Quer mais histórias? Click »