A despedida emocionante do Lucas e seu cão-guia: “Eu vou sentir a sua falta”

Lucas escreveu no Instagram um depoimento emocionante sobre sua relação com Timmy. A foto é de um passeio que os dois fizeram com amigos. Lucas levou Timmy para nadar, pois Timmy adora nadar.

“É tão estranho imaginar que você está ficando velhinho, porque eu só te chamo de good boy”, escreveu Lucas.

Timmy vai morar com uma amiga de Lucas, que garante que o labrador continuará passeando. “Mas agora será passeio de cachorro, não de guia. Talvez você demore um pouco pra perceber, mas agora você pode aprontar. Pode subir na cama, no sofá, pegue uns chinelos, ouvi falar que os labradores adoram isso. Você merece isso, e muito mais.”

Lucas continua sua despedida dizendo que Timmy fez muito por ele. Mas que só entendeu isso agora. Ele ganhou muita confiança quando Timmy entrou na sua vida. Afirma que andar de olhos fechados é mais difícil do que parece. Mas, graças a Timmy, Lucas já não tem mais tanto receio. “Eu posso ir para qualquer lugar, seja com você ou de bengala, eu sei que consigo.”

Ele ainda não se sente preparado para ter outro cão-guia, por isso disse que vai andar de bengala por um tempo…

Ao mesmo tempo que está triste, Lucas diz que se sente grato por tudo o que aquilo que viveu com Timmy. No final do passeio, já voltando pra casa, Lucas conta que foi a vez dele de cuidar de Timmy. “Quando você deitou exausto no meu colo hoje, depois de nadar no rio, eu cuidei de você a viagem de volta pra casa, da mesma forma que você cuidou de mim. E agora eu faço algo que me dói muito, mas que eu acho que vai ser o melhor para você.”

Veja o post:
View this post on Instagram

Timmy está se aposentando. Hoje fomos fazer uma trilha eu, ele e vários amigos. Como ele ama nadar, nós fomos nadar. Tá sendo difícil. Qual a idade que um cão guia deve se aposentar é o tipo de pergunta que a resposta é: depende. Entre nove e dez anos. As vezes mais, as vezes menos. Mas é algo perto disso. Ele faz dez muito em breve, e, foi difícil tomar essa decisão, porque eu queria que você me guiasse pro resto da vida, Timmy. É tão estranho imaginar que você está ficando velinho, porque eu só te chamo de good boy. Timmy vai morar com minha amiga Giovana. Você ainda vai passear todos os dias. Mas agora é passeio de cachorro, não de guia. Talvez você demore um pouco pra perceber, mas agora você pode aprontar. Pode subir na cama, no sofá, pegue uns chinelos, ouvi falar que os labradores adoram isso. Você merece isso, e muito mais. Eu não percebi quando você chegou, mas hoje eu entendo. Você me deu muito mais confiança do que eu podia imaginar. Andar por aí, com os olhos fechados, é mais difícil do que parece. Mesmo assim, eu já não tenho mais receio disso. Eu posso ir para qualquer lugar, seja com você ou de bengala, eu sei que consigo. E vai ter que ser de bengala por um tempo. Não sei se estou pronto para ter um próximo cão guia depois de você. Eu não lembro da última vez que fiquei tão triste. Mas o sentimento é engraçado, porque ao mesmo tempo eu me sinto grato por tudo que passamos juntos. Quando você deitou exausto no meu colo hoje, depois de nadar no rio, eu cuidei de você a viagem de volta pra casa, da mesma forma que você cuidou de mim. E agora eu faço algo que me dói muito, mas que eu acho que vai ser o melhor para você: eu quero que você brinque todos os dias do resto da sua vida. Eu vou sentir a sua falta. Te amo, good boy!

A post shared by Lucas (@lucasradaelli) on

Timmy está se aposentando. Hoje fomos fazer uma trilha eu, ele e vários amigos. Como ele ama nadar, nós fomos nadar.

Tá sendo difícil. Qual a idade que um cão guia deve se aposentar é o tipo de pergunta que a resposta é: depende. Entre nove e dez anos. As vezes mais, as vezes menos. Mas é algo perto disso.

Ele faz dez muito em breve, e, foi difícil tomar essa decisão, porque eu queria que você me guiasse pro resto da vida, Timmy. É tão estranho imaginar que você está ficando velinho, porque eu só te chamo de good boy.

Timmy vai morar com minha amiga Giovana. Você ainda vai passear todos os dias. Mas agora é passeio de cachorro, não de guia. Talvez você demore um pouco pra perceber, mas agora você pode aprontar. Pode subir na cama, no sofá, pegue uns chinelos, ouvi falar que os labradores adoram isso. Você merece isso, e muito mais.

Eu não percebi quando você chegou, mas hoje eu entendo. Você me deu muito mais confiança do que eu podia imaginar. Andar por aí, com os olhos fechados, é mais difícil do que parece. Mesmo assim, eu já não tenho mais receio disso. Eu posso ir para qualquer lugar, seja com você ou de bengala, eu sei que consigo.

E vai ter que ser de bengala por um tempo. Não sei se estou pronto para ter um próximo cão guia depois de você.

Eu não lembro da última vez que fiquei tão triste. Mas o sentimento é engraçado, porque ao mesmo tempo eu me sinto grato por tudo que passamos juntos. Quando você deitou exausto no meu colo hoje, depois de nadar no rio, eu cuidei de você a viagem de volta pra casa, da mesma forma que você cuidou de mim. E agora eu faço algo que me dói muito, mas que eu acho que vai ser o melhor para você:

eu quero que você brinque todos os dias do resto da sua vida.

Eu vou sentir a sua falta”

Crédito das fotos: Reprodução/Instagram @lucasradaelli

Fonte: Razões Para Acreditar

Facebook

Quer mais histórias? Click »