7 pessoas que viveram com pessoas mortas em suas casas

Lidar com a morte nunca é algo fácil. Mesmo sabendo que a morte seja inevitável e que todos nós vamos morrer um dia. No entanto, a perda de um ente querido às vezes não é aceita com naturalidade, e isso faz com que o período do luto seja ainda mais doloroso. Em casos extremos, vemos pessoas tomando atitudes controversas em relação às pessoas mortas. Exemplo disso são as pessoas que continuam a conviver com o seu ente querido mesmo após a morte.

Recentemente, a cidade de Kolkata, na Índia, ganhou as manchetes do mundo todo devido a notícia de um homem de 44 anos que passou seis meses morando com o cadáver da sua irmã morta. Para se ter noção da situação, o homem chamado Partha, tinha o cuidado de limpar o quarto do esqueleto da irmã e até oferecer comida a ele. Se isso já não fosse estranho o bastante, ele ainda preservou os esqueletos dos cães de estimação da família. Ele disse em entrevista que a sua irmã voltava todas as noites em busca de comida. Sendo uma tradição do seu país ou não, a situação não deixa de ser peculiar. Mas ele não é o único, confira agora alguns casos de pessoas que viveram com pessoas mortas em casa.

1 – A mulher que cuidou do filho morto por 18 anos

Quando Joni Bakaradze morreu há quase duas décadas atrás, aos 22 anos de idade, ele deixou um filho de apenas dois anos. Ao invés de enterrá-lo, como a maioria das pessoas faz, sua família resolveu manter o seu corpo preservado. A medida tinha o intuito de dar ao seu filho a oportunidade de conhecer o pai. A mãe de Joni cuidou do seu corpo usando uma substância de embalsamamento e depois uma fórmula de cataplasma à base de vodka durante 18 anos. Até que ela não tinha mais condições de cuidar do corpo. Durante todo esse tempo, a família manteve o corpo de Joni em um caixão de madeira com uma janela de visualização na tampa.

2 – O homem que desenterrou a mulher

Em 2009, um homem chamado Le Van, de 57 anos, morador do Vietnã, foi encontrado dormindo com uma estátua de gesso em forma humana. Dentro da estátua, estava o corpo da sua falecida esposa. A sua mulher morreu em 2003, e desde então, ele dormia no seu túmulo todas as noites. Até que em 2004, ele a desenterrou e levou o corpo para casa. Ele moldou sua pele com barro e gesso, e vestiu a estátua com as roupas da esposa. Até 2011, quando foi verificada a situação, ele ainda dormia com o cadáver da mulher.

3 – A espera da ressurreição

Em seu leito de morte, Lucio Chacue, de 61 anos, fez um último pedido a sua esposa. Ele queria que ela escondesse o seu corpo em sua casa, porque de acordo com ela, ele disse que “voltaria à vida”. Atendendo ao seu último pedido, a mulher enrolou o corpo em um lençol e o manteve em seu quarto. Mesmo com o corpo se decompondo e o cheiro insuportável, ela manteve o corpo por 30 dias esperando a ressurreição. Como isso não aconteceu, ela então resolveu enterrar o corpo do marido.

4 – Irmãos mortos

O caso de Margaret, Anita, Frank e Elaine Bernstoff é um dos mais bizarros de pessoas que viveram com pessoas mortas. Elaine foi a primeira dos irmãos a morrer. Depois da sua morte, os seus irmãos mantiveram o seu corpo guardado em sua casa. Em 2003, Frank morreu aos 83 anos, e o seu corpo teve o mesmo destino, assim como o de Anita, que morreu em 2008. Margaret cuidou dos corpos dos três irmãos dentro de casa até a sua morte.

5 – Morando com o irmão e o marido, ambos mortos

Depois da morte do seu marido em 2000, Jean Stevens acabou se tornando dependente do seu irmão gêmeo. Mas em 2009, seu irmão também morreu. A mulher, se sentindo solitária aos 91 anos de idade, conseguiu exumar as sepulturas dos dois e levou os cadáveres para a sua casa. Ela deixou o corpo do marido na garagem e o do irmão no quarto.

6 – Homem que viveu com a mãe morta

Quando Claudio Alferi, de 58 anos, foi encontrado morto em seu apartamento em Buenos Aires, ao seu lado estava o corpo ressecado de uma mulher. O corpo da mulher estava enrolado em sacolas plásticas e sentado na cozinha. Depois disso, o corpo foi identificado como sendo da mãe de Claudio, Margarita Aimer de Alferi. Segundo os vizinhos, a mulher foi vista pela última vez uma década antes, quando tinha 90 anos. Depois disso, nunca mais viram a senhora, e Claudio sempre afirmava que ela estava viva e saudável, até a descoberta.

7 – Mulher que assistia televisão com o namorado morto

Charles Zigler era fã de NASCAR, e não perdia uma corrida. Quando ele morreu, em 2010, a sua namorada, Linda Chase, não estava pronta para dizer adeus ao seu companheiro. Ela então mumificou o seu corpo e o colocou em uma cadeira na sala de estar. E juntos, ela e o corpo de Charles mantiveram a tradição de assistirem juntos às corridas na televisão até 2012, quando a polícia descobriu a situação.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Facebook

Quer mais histórias? Click »