Esta mulher colocou milhares de crianças em caixões e caixas por vários anos, até que foi pega. A razão vai fazer você chora

A nossa sociedade está cada vez mais egoísta. Por vezes, nós passamos por pessoas em dificuldades sem sequer lhes prestar atenção. Mas esta mulher deu tudo o que podia para fazer do mundo um lugar melhor. Conheça a história desta heroína.

Irena Sendler nasceu a 15 de fevereiro de 1910 em Varsóvia, na Polónia. O seu pai, médico de profissão, sempre lhe ensinou a prestar sua ajuda ao mais necessitados. O que nenhum deles sabia é que este ensinamento iria salvar milhares de vidas.

Quando Irena tinha apenas 7 anos de idade, seu pai faleceu. A filha seguiu o exemplo do seu progenitor e se tornou uma enfermeira no Departamento de Bem-Estar Social de Varsóvia. Para além disso, ela também fornecia alimentos e roupas para os pobres.

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Naquele tempo, existiam muitos preconceitos contra os judeus na Europa. Apesar de Irena ser católica, ela sempre lhes prestou ajuda. Com a chegada da Segunda Guerra Mundial, o horror começou. Os nazistas criaram o Gueto de Varsóvia e começaram a excluir as famílias judias.

Irena, alarmada com esta situação, decidiu a tomar medidas sobre o assunto e se juntou ao Zegota (Conselho de Ajuda aos Judeus). Mas as coisas só pioravam. Então, a jovem sabia que tinha que fazer alguma coisa sobre o assunto!

Arriscando a sua própria vida, juntamente com outros colaboradores, ela começou secretamente a levar as crianças judias para fora do gueto, onde aguardavam a morte certa. Quando saiam, eles eram entregues a famílias de acolhimento ou orfanatos. Embora as suas intenções fossem boas, nem todas as mães estavam dispostas a deixar seus filhos a cuidados de estranhos. 

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Como os nazistas tinham forte controle do gueto, Irena tinha que encontrar maneiras muito criativas para esconder as crianças e levá-las para um lugar seguro. Inicialmente, ela os levava em ambulâncias com pacientes gravemente doentes que iam para o hospital. Mas, com o aumento da vigilância, Irena teve que os esconder em sacos, latas de lixo, caixas e até mesmo caixões.

De todas estas crianças se destaca Elzunia, de apenas 5 meses. Irena o resgatou colocando-o em uma caixa de madeira, junto com um carregamento de tijolos. A única recordação que a menina tinha de sua família era uma colher de prata que a mãe escondeu nas suas roupas.

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Irena conseguiu salvar mais de 2.500 crianças de um destino cruel, e manteve um registo de todos eles, que se escondeu no jardim do seu vizinho. Seu plano estava indo bem até que tudo deu errado: os nazistas descobriram que ela estava fazendo e a prenderam.

Na prisão, a mulher foi brutalmente torturada. Mas ela suportou bravamente todos os maus tratos e se recusou a dizer onde estavam as crianças. Foi aí que os nazistas a condenaram à morte. Mas o destino tinha outros planos para ela: os apoiantes da enfermeira subornaram um soldado que a ajudou a escapar. Desde esse dia, ela passou a viver sob uma identidade falsa, mas nunca parou de ajudar os outros.

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Quando a guerra terminou, Irena escavou o registo de todas as crianças que haviam resgatado, e a entregou ao comité de salvamento de judeus sobreviventes. Mais tarde, casou-se e teve três filhos. “A razão pela qual eu salvei crianças está enraizada na minha casa, na minha infância. Fui criada na crença de que uma pessoa em necessidade deve ser ajudada, independentemente da religião ou nacionalidade”.

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Em 2007, Irena foi nomeada para o Prémio Nobel da Paz. Ela morreu em 2008, aos 98 anos de idade. Seu trabalho foi incrível: a mulher arriscou a própria vida para salvar 2.500 crianças que provavelmente morreriam se não fosse por ela.

Facebook - Irena Sendler
Facebook – Irena Sendler

Compartilhe para que os coração de ouro da enfermeira nunca caia no esquecimento!

Facebook

Quer mais histórias? Click »