Mãe provoca o aborto queimando a filha viva dentro do útero. 29 anos depois, a filha decide se vingar

O aborto é um tema envolto em muita controvérsia. Algumas pessoas são a favor, outras estão no meio, aceitando apenas em casos de violação e deficiências graves. Mas também existe gente contra, dizendo que abortar é o mesmo que matar, e fazer de Deus. Essa mulher também defende essa ideia…

Giana Jessen tem 29 anos e sobreviveu a um aborto. A mãe dela foi a uma clínica para se “desfazer” dela, quando já estava quase no fim da gravidez… com 7 meses e meio.

Lá, os médicos aconselharam a mulher a abortar através da injeção de uma solução salina no útero, que faz com que o bebê queime por dentro e por fora, e depois ele nasceria morto. Mas quando todos pensaram que o feto já tinha falecido, algo impressionante aconteceu…

A bebê nasceu viva! Contra todas as expetativas, a menina sobreviveu… Gianna ficou com algumas sequelas por causa da falta de oxigênio, tais como a sua paralisia cerebral.

Agora, 29 anos depois, ela decidiu se vingar da “mãe”, da melhor forma que existe. Sem violência nem ódio, mas sim sendo uma embaixadora contra o aborto!

A jovem ativista dá palestras por todo país, deixando um poderoso testemunho: a sua vida. O seu sucesso dá que pensar, pois ela não estaria neste mundo caso o aborto tivesse funcionado… Ela está grata com Deus, por lhe ter concedido o dom da vida, e não ter deixado a sua “mãe” decidir por ela.

Assista ao discurso de Gianna e nos dê a sua opinião: acha que as mulheres deviam escolher se os seus filhos vivem ou morrem? Partilhe esta comovente mensagem com os seus familiares e amigos.

Facebook

Quer mais histórias? Click »