Os médicos estão alertando para não tomar ibuprofeno se tiver mais de 40 anos. Este é o motivo

Muita gente usa ibuprofeno regularmente. Normalmente, nós utilizamos este remédio para todos os nossos males e dores. No entanto, um estudo recente indica que este medicamento é responsável por aumentar complicações gastrointestinais e triplica o risco de problemas cardiovasculares.

O alerta de saúde não está limitado apenas ao ibuprofeno. Ele se estende a outros remédios anti-inflamatórios não esteróides, tais como o nanoproxen.

Shutterstock
Shutterstock

As autoridades de saúde há muito tempo alertam sobre o efeito negativo do consumo frequente de ibuprofeno, especialmente quando as doses recomendadas são excedidas. Apesar disso, este medicamento é um dos mais vendidos em todo o mundo.

A maioria das pessoas toma doses de 600 miligramas. Mas 400 são mais do que suficientes para tratar a dor ligeira a moderada, com ou sem inflamação. Este remédio pode ser tomado com segurança até 3 vezes por dia.

Se alcançar 2.400 miligramas num dia (um comprimido de 600 a cada 6 horas), aumenta o risco de sofrer um ataque cardíaco em dobro! Também fica mais propenso a outros problemas cardíacos tais como hipertensão, e ainda danos no fígado, estômago, problemas intestinais ou renais.

O Medical Research Council do Reino Unido, e outras autoridades de saúde por todo o mundo, pediram para os médicos reduzirem a prescrição deste medicamento. Ele só deve ser tomado em casos de graves e absolutamente necessários.

Shutterstock
Shutterstock

Evite usá-lo frequentemente, e imponha certos limites. Não compre altas doses desta medicação, só se ela for prescrita. O ideal será tomar 400 miligramas e não exceder esse valor, a não ser em casos graves. Para as dores de cabeça leves pode usar apenas 300 mg.

Se a sua dor for muscular, tente a fisioterapia. Pode tentar outros tratamentos para curar as lesões a longo prazo, deixando o tratamento analgésico de parte.

Compartilhe esta informação importante com seus amigos e familiares!

Facebook

Quer mais histórias? Click »