Homem rouba leite no supermercado, mas o que o agente da PSP fez vai-te deixar sem palavras!

Esta uma História que tem circulado nas redes sociais e que a comunicação social nunca divulgou (telejornais ou Tv’s) e todas as Histórias com este valor merecem ser partilhadas.

Aqui fica o relato que a Polícia de Segurança Pública, embora em toda a descrição não identifique o autor do testemunho nem os agentes envolvidos ou os locais precisos onde ocorreu este caso dramático que está a comover Portugal.

Durante esta semana que está a terminar, a policia foi solicitada para um supermercado na cidade do Porto. Chegados ao supermercado, os elementos policiais foram informados pelo vigilante do estabelecimento, que determinada pessoa tinha sido travada à saída na posse de artigos furtados.

Questionado sobre a tipologia dos artigos furtados, a gerente do supermercado e o vigilante referiram tratar-se de 4 iogurtes, 6 pães e 2 pacotes de leite. Os agentes, dirigiram-se então ao autor do ilícito e este, a chorar compulsivamente, lá foi dizendo que tanto ele como a esposa, estão desempregados, têm 2 crianças em Casa e nem leite tinha para lhes Dar. Este acto, visava apenas levar pão à boca dos seus filhos que ainda não tinham comido nada durante todo o dia.

De volta à gerente, esta, depois de passar os artigos pela caixa lá mostrou o talão, com um valor monetário pouco acima dos 4 euros. Nesse momento, o agente, tirou dinheiro do bolso, perguntou se a Casa aceitava o pagamento e após este ter sido efectuado ainda questionou se pretendiam procedimento criminal. Uma vez que os artigos estavam pagos e nada mais restava a fazer, foi o autor do furto chamado à parte, onde lavado em lágrimas, ouviu o conselho de que pedir não é crime, pedir é ser humilde e que se for detido, com toda a certeza, não vai conseguir levar seja o que for para a boca dos filhos. Não volte a furtar mais nada pois para a próxima pode não ter a sorte que teve hoje. De seguida mandou-o embora com os iogurtes, o pão e o leite.´

Existem Homens assim nestas fileiras que dia após dia, noite após noite presenciam homens, mulheres e crianças com fome, sem nada para comer, que o último recurso é pedir ou furtar.
Note-se que não estou a falar de criminosos, de delinquentes que passam os seus dias a mandriar, a viver à custa de RSI, estou a falar de pessoas de bem, que sempre trabalharam, sempre pagaram os seus impostos e que agora se vêem privados de tudo e incapazes sequer de alimentar os seus filhos.

Se o gesto deste agente é louvável, partilhe a história.

Facebook

Quer mais histórias? Click »