Pai acha que mendigo está pedindo dinheiro ao filho – seu coração para quando ele revela a verdade

Todos nós já julgámos ou fomos preconceituosos com alguém nalgum momento das nossas vidas. Esse tipo de atitudes menos boas acabam por nos envergonhar no futuro. O pai na história abaixo também não estava muito orgulhoso de expor esse lado de si mesmo. No entanto, ele decidiu ir em frente e fazê-lo para que todos pudéssemos aprender algo muito importante. Tudo começou quando o homem achou que um sem-teto estava pedindo dinheiro ao filho.

Facebook – Blanton O’Neal
Pai fala sobre o seu momento de preconceito

Blanton O’Neal foi passear com o filho de 11 anos, Sean, quando viu um mendigo falando com o menino. “Eu debati fazer um post sobre isto, uma vez que não é uma imagem muito lisonjeadora de mim como pessoa. Mas acho que, no final, é uma imagem de muitos de nós se formos realmente honestos connosco mesmos.

Ontem, quando Sean e eu viajamos para a Carolina do Norte para o seu torneio de futebol, parámos numa saída perto da fronteira da Carolina do Norte e saímos num pequeno posto de gasolina para tomar uma bebida. Enquanto eu pagava, dei as chaves a Sean, para que ele pudesse voltar para o carro.

Demorei um pouco para fazer o checkout e, quando saí da loja, notei que a porta de Sean se abriu, e ele estava se afastando do meu carro em direção a um homem de cadeira de rodas. Ele era um cavalheiro afro-americano mais velho, com pernas amputadas e parecia ‘sem-teto’.

Minha primeira reação, infelizmente, foi ‘oh não! Ele está pedindo dinheiro a Sean, e chamou-o.’ Mas quando me aproximei, Sean claramente teve uma conversa curta com o homem, virou-se e voltou para o carro. Então, eu fiz o mesmo.

Pixabay
Atitude nobre do filho de 11 anos

Quando entrei no carro, perguntei-lhe o que tinha acontecido. ‘Nada pai. Eu só estava perguntando se ele precisava de ajuda. Ele disse que não, obrigado, que estava bem, mas agradeceu-me por ter perguntado.

À primeira vista, eu nem percebi que o cavalheiro estava tentando atravessar um estacionamento de cascalho, cheio de buracos, em uma cadeira de rodas usando apenas as mãos. Eu não percebi que meu filho de 11 anos era homem o suficiente para ver isso no espelho do meu carro, largar seus eletrônicos em que estava mexendo, sair e oferecer ajuda ao cara.

Quando começámos a sair, Sean perguntou se poderíamos dar ao homem algum dinheiro. Nós paramos ao lado dele e eu perguntei se precisava de alguns dólares. Ele disse ‘não, obrigada, estou bem. Seu filho é um verdadeiro cavalheiro e me deu tudo que eu precisava hoje. Deus abençoe.’

Nós fechámos a janela e começamos a sair. Com o canto do olho, vi Sean acenar para ele, e ele acenou de volta com um sorriso enorme no rosto. Eu teria saído do carro e feito o mesmo?

Facebook – Blanton O’Neal
Olhar o mundo através dos olhos de uma criança

Eu não postei isto em busca de elogios para Sean. Eu postei isto para expor a maldade real que temos em nosso mundo…. Todos nós fazemos isso. Nós nos esquecemos de olhar o mundo através dos olhos de uma criança.

Muitas pessoas nos disseram ao longo dos anos como é grande o coração de Sean. Enquanto ele pode ser maior que a vida em muitos ambientes sociais, escolhendo ser o brincalhão, seus pequenos atos de bondade se destacam, como deveriam.

Se todos nós, apenas uma vez por dia, fizéssemos uma pessoa sorrir, seja um estranho, um amigo ou um membro da família, acho que poderíamos realmente mudar o mundo para melhor.”

A história de Blanton revela como é importante não julgar alguém à primeira vista. Compartilhe se acha que todos deveríamos contribuir para fazer do mundo um lugar melhor!

Fonte: Newsner

Facebook

Quer mais histórias? Click »