Mãe pede uma licença à gerente para cuidar do filho doente – ela nega e diz para a mulher se demitir

Quando temos um familiar no hospital em estado grave, é difícil nos concentrarmos no trabalho. Todos nós somos seres humanos, e devíamos nos colocar no lugar daqueles que estão nessa situação complicada. Mas Crystal Reynolds Fisher não teve essa sorte. Quando contou à gerente que não podia trabalhar, pois tinha de cuidar do filho doente, ela recebeu tudo menos empatia.

Crystal trabalha num supermercado chamado PS Food Mart em Michigan, Estados Unidos. Há alguns dias atrás, ela contatou Dawn, a sua gerente, para lhe dizer que o filho estava numa situação crítica e ligado às máquinas. A resposta dela está indignando o mundo!

Licença para cuidar do filho doente recusada

“O meu filho está nos cuidados intensivos, e eu disse à minha chefe, 48 horas antes de ir para o emprego, que não poderia trabalhar até que o meu filho respirasse sem um dispositivo de suporte de vida. Isto foi o que ela me disse!,” escreveu Crystal no Facebook.

Com o máximo de frieza, e sem o mínimo de compaixão, Dawn respondeu:

“Não é assim que fazemos as coisas, então eu aceito que você está se demitindo. […] Se você não pode vir trabalhar, isso significa que você se demitiu. […]”

Dois dias depois, Crystal disse à gerente que não iria trabalhar por causa da situação. Então, a responsável respondeu: “Eu não vou discutir isso por horas aqui, mas eu tenho sido mais do que tolerante, permitindo mudanças de turno e afins. Não há razão para você não vir trabalhar, não vou tolerar dramas. Fim da conversa.

Se você não puder vir trabalhar amanhã, eu vou assumir que você se demitiu”

Sem demoras, Crystal responde: “Não é uma consulta com um oftalmologista ou um dentista, é da vida do meu filho que estamos falando, ele está ligado às máquinas! Ok, vou me colocar em contato com a empresa!! Eu nunca disse que me demiti.”

Dawn: “E você não pode trabalhar porquê? Demasiado drama.”

Crystal: “Você conseguia ir trabalhar e funcionar normalmente se o seu filho estivesse ligado às máquinas de suporte de vida? Eu nem sei como estou de pé, e você espera que eu trabalhe?”

Facebook – Crystal Reynolds Fisher

Dawn: “Sim, eu conseguia. Tenho contas para pagar e preciso de algo para me ocupar… A situação está sob controle para amanhã e segunda-feira. O seu filho está no melhor lugar possível. Eu tenho uma loja para gerenciar.”

Restaurante demite a gerente

Diante a indignação que a publicação de Crystal provocou, o restaurante anunciou a decisão de demitir a gerente via Facebook, no dia 2 de julho:

“Estamos acompanhando o problema relatado em relação à rejeição do pedido de licença por um de nossos gerentes. Nós investigámos e descobrimos que a situação não foi bem administrada com a compaixão que valorizamos na nossa sociedade. Nós realmente sentimos muito.

Como resultado dessas descobertas, tomámos medidas rápidas e essa gerente não é mais empregada da PS Food Mart. Também reafirmámos à nossa funcionária que ela poderá aproveitar todo o tempo que precisar durante este período difícil. Gostaríamos de agradecer ao público pela sua preocupação.”

Facebook – Crystal Reynolds Fisher

A empresa não teve outra escolha, dada a má publicidade causada pela história. Felizmente, o filho de Crystal já não está ligado às máquinas, e vai a caminho da recuperação total.

Ainda bem que a gerente foi despedida, porque esta não é a única história deste tipo que ouvimos nos últimos tempos. Já é hora de sermos mais humanos uns com os outros, no trabalho e fora dele. Compartilhe se concorda!

Fonte: Laowl

Facebook

Quer mais histórias? Click »