Este artista alerta sobre a poluição em esculturas a partir do lixo – veja o seu trabalho incrível!

O trabalho do artista português Bordalo II está se tornando viral por todo o mundo. Isso por que, em vez de trabalhar com materiais novos e convencionais, ele utiliza coisas que foram deitadas fora. A sua visão da arte é muito particular, mas simplesmente maravilhosa.

Bordalo II nasceu em 1987. Ele é famoso por suas impressionantes esculturas de animais, muito coloridas. As suas obras começam na procura de lixo e materiais que não têm mais utilidade para a maioria das pessoas. O jovem procura inspiração em vários locais, principalmente sucatas.

Peças de acidentes de carro, molduras de portas, pilhas de plástico: para este artista, tudo serve para criar uma escultura. Ele transforma o que encontra em animais gigantescos, desde pelicanos a raposas. Bordalo II finaliza suas obras com tintas spray, que dão uma nova vida à sua arte.

Instagram – Bordalo II

Através das suas obras, ele pretende alertar a população para cuidar melhor do meio ambiente.

Instagram – Bordalo II

A arte de rua reciclada pretende honrar o meio ambiente, a natureza. Para fazer estas esculturas gigantes, o artista conjuga várias texturas, formas e cores para representar o mundo animal.

Instagram – Bordalo II

Na rua, nas paredes dos edifícios ou até mesmo na água, o seu trabalho chama a atenção para a natureza e para os animais que estão desaparecendo devido à poluição humana.

Instagram – Bordalo II

Para muita gente, estes resíduos não teriam utilidade. Mas nas mãos deste talentoso homem, eles dão vida a esculturas simplesmente incríveis.

Instagram – Bordalo II

Foi a sua sensibilidade ecológica que deu origem às suas criações em 3D.

Instagram – Bordalo II

Bordalo II tornou-se famoso muito rapidamente em Portugal,devido à sua arte urbana de animais.

Instagram – Bordalo II

Este artista, para além de talentoso, é um excelente exemplo para todos nós. Esperemos que a sua mensagem ambientalista seja ouvida e que a sociedade se torne mais consciente e menos poluidora!

Facebook

Quer mais histórias? Click »