Ao entrar a sala de parto, eles sabiam que a menina de 17 anos iria morrer. Ela tinha decidido assim…

Quando as pessoas de mais idade encontram alguém jovem, dizem “ah, você tem a vida pela frente”. Normalmente isso é verdade, mas o destino da adolescente de quem vamos falar não foi tão longo como deveria ter sido.

Jenny Lake, de 17 anos, era uma rapariga como todas as outras. Ela tinha uma personalidade muito divertida, e andava em uma escola de Idaho, nos Estados Unidos. Lá, ela conheceu Jason, que passou a ser um grande amigo.

De um momento para outro, a jovem começou a ter dores de cabeça terríveis. Depois de alguns dias, ela resolveu marcar uma consulta no médico. O que os exames revelaram fez com que todos seus sonhos fossem destruídos…

Os profissionais de saúde descobriram que ela tinha câncer no cérebro. Jenny já tinha uma “mancha” de 2 cm de diâmetro, que se alastrava cada vez mais.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Para que a adolescente tivesse chances de sobreviver, ela tinha de se submeter a tratamentos de quimioterapia.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Sua família e amigos, especialmente Jason, ficaram devastados. Mas ninguém desistiu da garota… todos lhe apoiaram e deram coragem para enfrentar a doença!

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Mas, para além da notícia do câncer, os médicos descobriram outra coisa… ela estava grávida! Em outras circunstâncias, Jenny estaria radiante.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Apesar de estar feliz pela vinda de um bebê, a adolescente sabia que tinha de enfrentar a doença para que ele sobrevivesse. Mas se o feto recebesse quimioterapia, ele morria… Era um dilema terrível: fazer ou não os tratamentos? A jovem sabia que, fosse qual fosse a decisão, ela iria acabar em morte.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Jenny resolveu deixar de receber quimioterapia. Nove meses depois, nasceu um menino saudável chamado Chad Michael. Ela deu à luz, sabendo que ia morrer pelo seu filho… Quando ele nasceu, a jovem pegou na mão da parteira e sussurrou: “Fui eu que o fiz. Cumpri o meu dever”.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Seis dias mais tarde, Jenny teve alta do hospital e levou o recém-nascido para casa.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

12 dias depois de ter dado à luz, ela faleceu, enquanto segurava seu bebê nos braços.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

É incrível o amor dessa mãe por seu filho. Ela sacrificou a vida para que ele pudesse nascer… simplesmente indescritível.

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Com certeza Jenny irá acompanhar Chad para onde quer que ele for, durante toda sua vida…

Facebook - Jenny's Journey
Facebook – Jenny’s Journey

Compartilhe se acha que o amor de mãe não tem limites!

Facebook

Quer mais histórias? Click »