Cadela acorrentada na rua esperou 2 meses até ser resgatada

Desde muito cedo, a cadela da África do Sul que vamos ver em seguida vivia acorrentada na rua. Era impossível o animal se conseguir libertar da corrente de metal pesado que estava em volta de seu pescoço. Apesar disso, o patudo tentou de tudo para fugir… ela tentou tantas vezes que a corrente foi se enrolando e acabou por ficar em metade do tamanho original.

Mas o sofrimento da cachorrinha estava prestes a chegar ao fim… No final de abril, Carol Conradie, voluntária do Tin Can Town, um grupo de resgate de animais local, foi alertada sobre o animal acorrentado. Ela estava entregando suprimentos a cães e pessoas em Blikkiesdorp, Cidade do Cabo, quando alguém contou a história do animal. Sem hesitar, ela correu em seu resgate!

Cadela acorrentada e abandonada pelo dono

Algumas das pessoas mais pobres da África do Sul vivem em Blikkiesdorp. Os locais vivem em pequenos barracos feitos de chapas de ferro, pedaços de madeira e pneus velhos. Para além disso, a maioria deles não tem serviços básicos como sanitários e pias.

The Dodo

Quando Conradie foi ao encontro do animal, ela descobriu que o dono do cachorro havia fugido há dois meses, quando alguns membros de um gangues ameaçaram matá-lo. O dono acorrentou a cachorra, talvez com a intenção de voltar para ela. Mas ele nunca voltou, e os vizinhos tentaram cuidar dela na ausência do homem. Eles empurravam tigelas de comida e água através da abertura estreita para onde ela estava, mas não conseguiam tirar a corrente do animal. Quando Conradie olhou pela abertura, viu o animal tremendo em um canto.

The Dodo

“Ela estava encolhida o mais longe que podia”, disse Conradie. “Eu tentei acariciar a cabeça dela, e eu coloquei comida para para ver se a conseguíamos atrair, mas ela não vinha.” Conradie conversou com a cachorrinha usando uma voz suave por vários minutos, e então ela conseguiu se aproximar.

Conradie deu o nome de Chantel à cadela, e descobriu que ela era muito amigável e carinhosa. “Ela apenas rastejou direto para o meu colo”, disse Conradie. “Ela estava colocando a cabeça dentro do meu casaco e tentando colocar a cabeça debaixo do meu braço.”

Chantel é liberada das correntes

A natureza amigável de Chantel facilitaria o resgate, mas ainda havia o problema da corrente. A mulher tentou serrar o metal com uma serra, mas não conseguiu. Entretanto, um dos vizinhos decidiu ir ao encontro de um homem que tinha uma rebarbadora capaz de cortar aço.  Enquanto Conradie esperava pela rebarbadora, ela acariciou Chantel e puxou a corrente em volta do pescoço. Nessa altura, ela finalmente descobriu como tirá-la. “Eu consegui empurrar o cadeado até o topo de sua mandíbula, e a corrente meio que apenas deslizou sobre uma de suas orelhas”, disse Conradie. “Depois disso, consegui passar por cima da cabeça dela.”

The Dodo

Chantel ficou muito aliviada por ter sido libertada. “Ela era tão simpática e ficou tão feliz por estar fora”, disse Conradie. “Ela aconchegou a cabeça no meu pescoço e sua cauda estava chicoteando na minha perna.” A mulher e os outros voluntários do Tin Can Town levaram Chantel ao veterinário para um check-up, e fizeram com que ela fosse esterilizada e vacinada. Embora tenha sido uma experiência horrível para o animal ser acorrentado por tanto tempo, Chantel estava em boa saúde.

The Dodo
Animal é adotado

Depois de ser tratada, a cadela encontrou uma casa. Os vizinhos que a tinham alimentado pediram para adotá-la. Eles já tinham outros cães, que pareciam bem alimentados e bem cuidados, e prometeram cuidar de Chantel da mesma maneira. Embora algumas pessoas tenham questionado a decisão da Tin Can Town de dar o animal aos vizinhos, a equipe explicou que sempre busca as melhores soluções para os animais e para as pessoas da comunidade.

The Dodo

“Por favor, tenha certeza de que avaliaremos a situação de cada animal caso a caso e, se suspeitarmos de qualquer crueldade, abuso ou negligência grosseira naquela casa, nós levaremos o animal de volta”, disse um porta-voz. “Se as pessoas se importam e precisam apenas de ajuda e educação, então trabalhamos com os donos para melhorar as condições de vida do animal.”

Felizmente, no caso da Chantel, seus novos donos sabiam exatamente como cuidar dela. Agora, ela está livre e poderá correr e brincar com seus novos irmãos! Seus donos atuais foram os vizinhos que fizeram a denúncia e lhe deram uma nova chance de vida, por isso com certeza irão tratar bem dela. Compartilhe este final feliz se você é contra os maus-tratos animais!

Fonte: The Dodo

Facebook

Quer mais histórias? Click »